Monday, February 12, 2007
Quem me conhece, sabe o quanto sou batalhadora, determinada e positiva.
Em todas as situações que enfrentamos, tento sempre tirar uma lição e ver o lado bom e cômico da historia.

Mas hoje estou mt triste.
To triste porque tento passar daqui uma visão realista, porem com uma dose de humor, afinal, das “indiadas” que passamos eh melhor rir do que chorar.
Não fico expondo os sofrimentos que passamos, os dias em que choramos, ate porque, tento esconder isso ate de mim mesmo...
Não gosto de comentar da saudade que sentimos, das privações que vivemos, das dificuldades profissionais que encontramos...não gosto e ponto.
Não gosto de expor nossos temores, nossas duvidas...
Não gosto! Afinal, sou uma Leonina orgulhosa, e não posso perder a “pose”!!hehe
Não gosto e nem quero, porque senão isso aqui ficaria mt deprimente, e sem graça.

Mas tem horas que se faz necessário...necessário explicar e exemplificar que isso aqui eh uma merda de viver.
Só quem morou ou mora aqui pode dizer o quanto eh difícil de viver tudo isso.
Aqui tudo eh diferente. TUDO!
Desde a roupa, a comida, a higiene, a falta de respeito e consideração com a mulher; a falta de organização, de manutenção. A ausência de alegria, de amigos...

Eh difícil ate de escrever, pq não quero aceitar isso... afinal, eu sou POSITIVA po!!!!!!!!
Mas estou ficando sem forcas, sem forcas p mudar de opinião e principalmente mudar “esse” mundo.

To assim hoje, pq fiz uma brincadeira e fui infeliz.
Enviei um e-mail p alguns amigos cobrando um “Alo! Um bom dia! Como vai?”
E mt gente interpretou mal.
Acharam que eu estava querendo dizer que os meus problemas são maiores do que os deles, que os seus, que os de todos...mas não era isso...

Meus problemas NÃO são maiores nem menores que os teus, que os deles, que os de todo mundo.
Cada um tem seus problemas, TODOS TEMOS, e enfrentamos como achamos que devem ser. Uns fazem drama, uns fogem, o que aumenta o problema, e os outros encaram, mas não deixam de sofrer...

E no meu caso, ou melhor, no nosso caso, afinal o Marido sofre mt tbm...enfrentamos de frente, com a cara e coragem; afinal isso foi uma escolha que fizemos.
Mas não deixamos de sofrer...sentimos saudades e carências...isso eh ofensa?????Eu achava que não...já não sei mais...já não sei mais se devo continuar a escrever, se devo me expor tanto...não sei mais.


Mas essa experiência tbm trouxe coisas boas.
Para mim, a mais importante de todas, eh solidez de uma união, que serei grata eternamente...
Trouxe tbm, mt aprendizado, mt valorização das coisas que possuímos e das amizades que temos.
Trouxe novos amigos, os bravos guerreiros que aqui se aventuram, e nossos parceiros cibernéticos, que hj são mais próximos que muitos parentes...
E a fantástica experiência de dizer eu vi, senti e sofri; mas tbm venci!

Quem me conhece sabe, que sofro, choro, e me escabelo; mas não desisto de um sonho. E este eh o nosso sonho; sonho de manter um emprego, de uma vida um pouquinho melhor, mesmo tendo que abrir mão (por um tempo) de tudo que amamos ai no Brasil.

O meu único problema, eh q sou assim, demonstro o que sinto e falo tudo o que penso; e agora ainda por cima, escrevo num blog para o mundo inteiro ver...
 
posted by Liz & Edson at 2:23 AM |


2 Comments:


At 3:22 AM, Anonymous quiane

olá! vi seu comentario no blog inutilidades e achei interessante seu nick e resolvi entrar... em primeiro lugar me chamo quiane e tenho 31 anos. (muito prazer!!) sobre seu post, desculpa as palavras mas manda essas pessoas à merda pq hj as pessoas querem até comparar quem tem problemas maior ou menores que o nosso...problemas são problemas e pronto. sei da cultura de onde vc está e acredito q deve ser uma barra mesmo, mas como vc mesma disse foi uma escolha sua...mas não se cobre tanto assim e se o blog te ajuda a expor suas idéias ou te aproximar das pessoas continue!!!!!! e me visite tbm assim manteremos contato!!!!!!!! bjus quiane
(vou te linkar tá!!!) bjus

 

At 7:30 AM, Blogger Silvio Vasconcellos

Oi Liz...

(...pensando no que dizer...)

Meus queridos amigos, enfrentar as dificuldades, mesmo que tenham sabido que elas lá estavam, é para poucos. A vida é cheia de trocas: trocamos tempo por experiência, trocamos convívio com amigos antigos em busca de experiências novas, trocamos a espera pela busca, trocamos a saudade por lágrimas. O que poucos sabem fazer é trocar drama por vivência e isso vocês souberam fazer. Ao invés de ficar lamentando a crise calçadista no Brasil, buscaram trabalho num país distante e, de quebra, trazer uma experiência riquíssima, tanto em convivência como em vivência num lugar adverso.
Daqui o que nos resta é torcer pelo sucesso, pela conquista do lugar ao sol (não precisava ser tão quente no verão!). Força amigos, continuem tirando das dificuldades as lembranças que levarão pela vida a fora.

Um abraço fraterno,

Sílvio